MÚSICA PARA TODOS

A Orquestra Juvenil da Bonjóia engloba cerca de 100 elementos: quarenta violinos (com níveis diversificados de desenvolvimento técnico/ artístico), oito violas, doze violoncelos, quatro flautas transversais, quatro saxofones, trompete, piano e dez guitarras. As idades das crianças variam entre os 7 e os 16 anos de idade. Conta também com a colaboração permanente dos professores dos respetivos instrumentos envolvidos no projeto.

Apresentou-se publicamente no Rivoli Teatro Municipal e contou com a presença de todos os responsáveis pela conceção e concretização do projeto; Curso de Musica de Silva Monteiro, Câmara Municipal do Porto, Fundação Porto Social, Ministério da Educação (DREN), BPI e BIAL (empresas financiadoras da compra de instrumentos), agrupamentos de escolas dos envolvidos (E.B.2,3 do Viso, E.B.2, 3 do Cerco, E.B.2, 3 Dr. Leonardo Coimbra, E.B.2, 3 Gomes Teixeira, E.B.2,3 Clara de Resende, E.B.2,3 Fontes Pereira de Melo, bem como Colégio do Rosário, Escola Francesa e Colégio Alemão).

Tendo como embrião o projeto "Música para Todos" surgido da parceria entre C.M.S.M. e C.M.P./ Fundação Porto Social que tem como objetivo dar a oportunidade a crianças oriundas de meios sociais desfavorecidos frequentarem o ensino vocacional da música em regime articulado (usufruindo da legislação vigente) com o apoio de empresas privadas na compra de instrumentos para estes alunos (BPI e BIAL) e com acesso a toda a formação especifica artística (formação musical, classes de conjunto/ orquestra e instrumento lecionado individualmente) ministrada na escola do ensino regular (nos agrupamentos TEIP do Viso e Cerco), este projeto alargou-se à cidade do Porto ao englobar outras escolas e alunos de universos socio-culturais diversificados. Pretende-se que a MUSICA/PRÁTICA ORQUESTRAL seja um veiculo de fruição e integração natural e que os períodos de ensaios e concertos em que se juntam os alunos de todas as escolas seja um "espaço" de trabalho e comunicação que ao diluir as diferenças constitua por si um modelo de integração inexistente na organização social atual. A troca de experiências em torno de um objetivo comum torna possível a interação entre alunos, encarregados de educação, professores, escolas e publico e estabelece a plataforma comum prevista constitucionalmente: IGUALDADE DE OPORTUNIDADES.

É assumido por todos os agentes responsáveis pela criação da O.J.B. que a MUSICA além de elemento integrador é uma forma de expressão que desenvolve humana e culturalmente o individuo dotando-o de uma linguagem universal que o vai aproximar do outro tornando-o mais feliz e melhor cidadão. A Orquestra está permeável a todas as iniciativas e apoios que contribuam para que os seus objetivos sejam alcançados e desenvolvidos.  

VEJA AQUI O VÍDEO