JOÃO BETTENCOURT . PIANO

08 DE MAIO 2016 . 17H00

CICLO DE RECITAIS 2016
Parceria com a CM Porto

Local . Palacete Viscondes de Balsemão

ENTRADA LIVRE

Consulte aqui toda a nossa programação 2016


JOÃO BETTENCOURT . PIANO
João Manuel Pereira Bettencourt da Câmara nasceu em Lisboa, em 1988. Iniciou pelos três anos de idade o estudo do piano com seu pai, tendo em 2006 concluído, com a classificação máxima,  o Curso de Piano no Conservatório Nacional, ao mesmo tempo que os estudos secundários no Colégio do Sagrado Coração (Lisboa). Em Portugal estudou ainda com V. Viardo, H. Sá e Costa, T. Achot, Sequeira Costa, A. Pizarro, P. Burmester, D. Bashkirov, G. Eguiazarova e A. Ciccolini, que disse quando pela primeira vez o escutou: “Il est monstrueusement doué”.
Recebeu, entre outros, o Segundo Prémio no Concurso de Piano Florinda Santos (1998), o Primeiro Prémio no Concurso Cidade do Fundão (1999 e 2000), o Primeiro Prémio no Concurso Maria Cristina Lino Pimentel (2001) e o Prémio Especial do Júri no II Concurso “Veo Veo” Internacional da Radiotelevisão Espanhola (1999).
Deu o seu primeiro recital público aos sete anos de idade, e estreou-se como solista aos doze, executando o Concerto K. 414 de Mozart e, poucos meses depois, o Terceiro concerto de Beethoven, com a Filarmonia das Beiras, ao que se seguiram outros com diferentes orquestras portuguesas (Concerto de Grieg, Rhapsody in blue de Gershwin).
Com dezassete anos, prestou provas de admissão a três escolas superiores de música em Londres (Royal College of Music, Guildhall School of Music and Drama e Royal Academy of Music), após as quais lhe foi oferecido um lugar em todas elas. Optou pelo Royal College of Music, que lhe atribuiu o estatuto de “Foundation Scholar” e que frequentou durante quatro anos como aluno de Piano de Ruth Nye, um dos raros discípulos de Claudio Arrau. Obtendo sempre elevadas classificações (“First Class Honours”), licenciou-se em 2010 com a classificação, no recital final do curso, de 93%, uma das mais altas da história do RCM, pelo que recebeu o Sarah Mundlak Memorial Prize For Piano, atribuído ao melhor finalista do ano. Para o mestrado, foi novamente admitido às mesmas escolas londrinas, escolhendo desta feita a Guildhall School (City University), onde concluiu o curso com distinção, como aluno do pianista Martin Roscoe.
Iniciou a sua carreira internacional em 2007, com uma digressão nos Estados Unidos da América, levando o crítico Stephen Neal Dennis (All arts review) a escrever: "Only 19, Bettencourt da Câmara possesses a fearsome technique, something that has become so routine a component in concerts by younger pianists that audiences almost yawn when promised something spectacular. What is unexpected is the emotional depth of personal involvement that this pianist brings to each piece he plays. For a generation that never knew the young Sviatoslav Richter, one is forced to wonder how much more Richter himself could give at the age of 19.” Em recitais e concertos em Portugal (Casa da Música, Centro Cultural de Belém, Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Eugénio de Almeida, entre outros), Inglaterra, França e Espanha, vem-se afirmando como intérprete do grande repertório clássico (Bach, Mozart, Beethoven), romântico (Liszt, Chopin, Brahms, Rachmaninoff) e moderno (Debussy, Prokofiev). O seu primeiro disco comercial, consagrado a algumas das maiores obras de Liszt, foi recentemente editado pela Numérica. Desde 2013, é docente de Piano na Universidade de Aveiro, estabelecimento de ensino superior onde se encontra, igualmente, a concluir o Doutoramento.